Uma prosa, um café e tudo de mim para vocês

Conheça meu canal

Minha vida é andar por este país

Siga meu Instagram

Um espaço para sermos uma só voz!

Curta minha página

24jul

Teatro Municipal

Cascavel, PR

Mais informações

25jul

Teatro Sesi Pato Branco

Pato Branco, PR

Mais informações

27jul

Teatro Mário de Mari

Curitiba, PR

Mais informações

PróximosEspetáculos

Biografia

Glaucia Nasser é uma artista que canta o Brasil. Sua arte evoca as riquezas e a beleza do povo brasileiro – cantar é uma ação de amor pelo Brasil.

Desde criança, em Patos de Minas, despertava seus sentidos musicais ao ouvir grandes artistas como Milton Nascimento, Beto Guedes, Elis Regina, Maria Bethânia, Gal Costa, Clara Nunes, Martinho da Vila e Paulinho da Viola. Estes, viriam a ser as referências na construção futura de seu caminho musical – refletiam sua paixão, a vida ganhava sentido cada vez mais.

A essência de sua arte alimenta-se pelo prazer em proporcionar encontros e compartilhar ideias sobre o conjunto de nossa sociedade. A concepção de seus shows e CDs evoluíram à integração entre repertório musical, poesias e reflexões a cerca de temas contemporâneos. Interagir com seu público, seja nos shows ou nas redes sociais é uma constante em sua carreira – otimiza esse espaço para o encontro de ideias no sentido de colaborar e inspirar perspectivas de novos horizontes, diante de nosso atual quadro sócio-político.

Hoje, o conjunto dessas vivências resulta na concepção de sua arte vocal a serviço da construção da memória e desenvolvimento da cultura de nosso país.

Um Lugar vl. 1 2016

  1. Um lugar Veja mais

    Tiago Vianna, Glaucia Nasser, Andréa Flor

    O mundo dorme
    Você e eu
    Cada canto um ser a sós
    O tempo em fuga
    Fingindo a vida
    Pergunto a mim, por quê?
    Quero um lugar que reúna tudo
    A luz do sol tendo o anoitecer
    De tanto existir, ganhar sentido
    Valendo a pena nos entender
    Vibrar! As pontes vão nascer
    Nos sentir ser gente igual.
    O lugar planalto e central
    Mel jorrar, Cidade Luz
    O seu melhor e o meu, sonhar, aqui!
    Quero um lugar que reúna tudo
    A luz do sol tendo o anoitecer
    De tanto existir, ganhar sentido
    Valendo a pena nos entender
    Vibrar! As pontes vão nascer.
    Nos sentir ser gente igual
    Quero um lugar que reúna tudo
    A luz do sol tendo o anoitecer
    De tanto existir, ganhar sentido
    Valendo a pena nos entender
    Vibrar! As pontes vão nascer.
    Nos sentir ser gente igual
    Todos juntos, fazem juntos
    Sendo juntos, desatar.
    Todos juntos, vamos juntos
    As fronteiras desabar.

     

    Ficha Técnica

    Baixo: Fernando Rosa
    Bateria: Miguel Assis
    Teclados: Moisés Alves
    Percussão: Chrys Galante
    Violão, teclados: Marcio Nigro

  2. Vivalda Veja mais

    Tiago Vianna, Glaucia Nasser, Alexandre Lemos

    Tem aqui na minha mão
    Um pouco do calor do sol
    E uma chuva de verão
    Bem aqui na outra mão
    A calma de um silêncio bom
    E tem uma canção
    Tem aqui no meu chapéu
    Minha varinha de condão
    E uma estrela lá do céu
    Tem lá dentro do meu coração
    Uma varanda frente ao mar
    Pra gente namorar
    Refrão:
    A gente pode ver
    Além do olhar
    A gente pode ser
    Aquilo que a gente quiser
    E a gente quer
    A gente vai
    A gente sabe
    A gente pode
    A gente é
    Eu tenho fé
    Que com você por perto
    A gente tem um jeito certo até
    De melhorar
    Mudar o fim
    Antes do fim chegar
    Fiz na ponta do nariz
    Uma bola vermelha assim
    Só pra você sorrir pra mim
    Tem uma passagem pelo chão
    A gente entra por aqui
    E sai lá no Japão
    A gente pode ver
    Além do olhar
    A gente pode ser
    Aquilo que a gente quiser
    E a gente quer
    A gente vai
    A gente sabe
    A gente pode
    A gente é
    Eu tenho fé
    Que com você por perto
    A gente tem um jeito certo até
    De melhorar
    Mudar o fim
    Antes do fim chegar

     

    Ficha Técnica

    Baixo: Fernando Rosa
    Bateria: Miguel Assis
    Teclados: Moisés Alves
    Percussão: Chrys Galante
    Guitarra: Cris Nunes
    Violão, orquestração de guitarra e teclados: Marcio Nigro

  3. Vide, vida marvada Veja mais

    Rolando Boldrin

    Corre um boato aqui donde eu moro
    Que as mágoa que eu choro são mar ponteada
    Que no capim mascado do meu boi
    A baba sempre foi santa e purificada
    Corre um boato aqui donde eu moro
    Que as mágoa que eu choro são mar ponteada
    Que no capim mascado do meu boi

    A baba sempre foi santa e purificada
    Diz que eu rumino desde menininho
    Fraco e mirradinho a ração da estrada
    Vou mastigando o mundo e ruminando
    E assim vou tocando essa vida marvada
    É que a viola fala alto no meu peito humano
    E toda moda é um remédio pros meus desengano
    É que a viola fala alto no meu peito, humano,
    E toda mágoa é um mistério fora deste plano
    Pra todo aquele que só fala que eu não sei viver:
    Chega lá em casa pruma visitinha,
    Que no verso ou no reverso da vida inteirinha,
    Há de encontrar-me num cateretê
    Tem um ditado tido como certo
    Que cavalo esperto não espanta a boiada
    E quem refuga o mundo resmungando
    Passará berrando essa vida marvada
    Cumpadi meu que inveieceu cantando
    Diz que ruminando dá pra ser feliz
    Por isso eu vaqueio ponteando
    E assim procurando minha flor-de- lis
    É que a viola fala alto no meu peito humano
    E toda moda é um remédio pros meus desengano
    É que a viola fala alto no meu peito, humano,
    E toda mágoa é um mistério fora deste plano
    Pra todo aquele que só fala que eu não sei viver:
    Chega lá em casa pruma visitinha,
    Que no verso ou no reverso da vida inteirinha,
    Há de encontrar-me num cateretê

     

    Ficha Técnica

    Baixo: Fernando Rosa
    Bateria: Miguel Assis
    Teclados: Moisés Alves
    Percussão: Chrys Galante
    Viola Caipira: Sandro Premmero
    Violão, teclados: Marcio Nigro

  4. Lamento Sertanejo Veja mais

    Dominguinhos, Gilberto Gil

    Por ser de lá
    Do sertão, lá do cerrado
    Lá do interior do mato
    Da caatinga do roçado
    Eu quase não saio
    Eu quase não tenho amigos
    Eu quase que não consigo
    Ficar na cidade sem viver contrariado
    Por ser de lá
    Na certa por isso mesmo
    Não gosto de cama mole
    Não sei comer sem torresmo
    Eu quase não falo
    Eu quase não sei de nada
    Sou como rês desgarrada
    Nessa multidão boiada caminhando a esmo.

     

    Ficha Técnica

    Teclados: Moisés Alves
    Violão: Cris Nunes
    Violão, teclados: Marcio Nigro
    Violino: Alex Ximenes
    Violino: Uirá Ozzetti
    Viola: Fabio Tagliaferri
    Cello: Mario Manga
    Contrabaixo: Pedro Gadelha
    Clarinete: Ubaldo Versolato
    Acordeon: Gabriel Levy

  5. Bola de meia, bola de gude Veja mais

    Milton Nascimento, Fernando Brant

    Há um menino, há um moleque
    Orando sempre no meu coração
    Toda vez que o adulto balança
    Ele vem pra me dar a mão
    Há um passado no meu presente
    O sol bem quente lá no meu quintal
    Toda vez que a bruxa me assombra
    O menino me dá a mão
    Ele fala de coisas bonitas que
    Eu acredito que não deixarão de existir
    Amizade, palavra, respeito
    Caráter, bondade, alegria e amor
    Pois não posso, não devo
    Não quero viver como toda essa gente insiste em viver
    Não posso aceitar sossegado
    Qualquer sacanagem ser coisa normal

    Bola de meia, bola de gude
    O solidário não quer solidão
    Toda vez que a tristeza me
    Alcança o menino me dá a mão

     

    Ficha Técnica

    Baixo: Fernando Rosa
    Bateria: Miguel Assis
    Piano: Moisés Alves
    Percussão: Chrys Galante
    Guitarra: Cris Nunes
    Teclados: Marcio Nigro
    Arranjo: Moisés Alves

Em casa 2015

  1. Certas canções Veja mais

    Tunai / Milton Nascimento

    Certas canções que ouço
    Cabem tão dentro de mim
    Que perguntar carece
    Como não fui eu que fiz?
    Certa emoção me alcança
    Corta-me a alma sem dor
    Certas canções me chegam
    Como se fosse o amor
    Contos da água e do fogo
    Cacos de vida no chão
    Cartas do sonho do povo
    E o coração do cantor
    Vida e mais vida ou ferida
    Chuva, outono ou mar
    Carvão e giz, abrigo
    Gesto molhado no olhar
    Calor, que invade, arde, queima, encoraja
    Amor, que invade, arde, carece de cantar

  2. Fazenda Veja mais

    Nelson Angelo

    Água de beber
    Bica no quintal
    Sede de viver tudo
    E o esquecer era tão normal
    Que o tempo parava
    E a meninada
    Respirava o vento
    Até vir a noite
    E os velhos falavam
    Coisas dessa vida
    Eu era criança
    Hoje é você
    E no amanhã
    Nós
    Água de beber
    Bica no quintal
    Sede de viver tudo
    E o esquecer era tão normal
    Que o tempo parava
    Tinha sabiá, tinha laranjeira
    Tinha manga-rosa
    Tinha o sol da manhã
    E na despedida
    Tios na varanda
    Jipe na estrada
    E o coração lá

  3. Quando o Amor Acontece Veja mais

    João Bosco / Abel Silva

    Coração
    Sem perdão
    Diga, fale por mim
    Quem roubou toda minha alegria
    O amor me pegou
    Me pegou pra valer
    Aí que a dor do querer
    Muda o tempo e a maré
    Vendaval sobre o mar azul
    Tantas vezes chorei
    Quase desesperei
    E jurei nunca mais seus carinhos
    Ninguém tira do amor
    Ninguém tira, pois é
    Nem doutor, nem pajé
    O que queima e seduz, enlouquece:
    O veneno da mulher
    O amor quando acontece
    A gente esquece logo
    Que sofreu um dia
    Ilusão
    O meu coração marcado
    Tinha um nome tatuado
    Que ainda doía
    Pulsava só a solidão
    O amor quando acontece
    A gente esquece logo
    Que sofreu um dia
    Esquece sim
    Quem mandou chegar tão perto
    Será certo um outro engano
    Coração cigano
    Agora eu choro assim

  4. Nós dois Veja mais

    Celso Adolfo

    E nós que nem sabemos quanto nos queremos
    Que não sabemos tudo o que queremos
    Como é difícil o desejo de amar
    Você que nem me soube o quanto eu quis
    Que não me coube, não me viu raiz
    Nascendo, crescendo nos terrenos seus
    Eu da janela olhando a lua, perguntando à lua
    Onde você foi amar?
    E nós que nem soubemos nos querer de vez
    Estamos sós, laçados em dois nós
    Um que é meu beijo o outro, lábio seu
    Não sei sair cantando sem contar você
    Que eu sei cantar, mas conto com você
    Que eu vou seguir, mas vou seguir você
    Queria que assim sabendo se a gente se quer
    Queria me rimar no seu colo mulher
    Vencer a vida de onde ela vier
    Ganhar seu chegar
    No chegar meu
    Dar de mim o homem que é seu

  5. Beijo partido Veja mais

    Toninho Horta

    Sabe, eu não faço fé nessa minha loucura
    E digo
    Eu não gosto de quem me arruina em pedaços
    E Deus é quem sabe de ti
    E eu não mereço um beijo partido
    Hoje não passa de um dia perdido no tempo
    E fico longe de tudo o que sei
    Não se fala mais nisso, eu sei
    Eu serei pra você o que não me importa saber
    Hoje não passa de um vaso quebrado no peito
    E grito…
    Olha o beijo partido
    Onde estará a rainha que a lucidez escondeu?

  6. Clube da esquina Veja mais

    Milton Nascimento, Lô Borges, Márcio Borges

    Noite chegou outra vez
    De novo na esquina os homens estão
    Todos se acham mortais
    Dividem a noite, a lua, até solidão
    Neste clube a gente sozinha se vê
    Pela última vez
    À espera do dia naquela calçada
    Fugindo de outro lugar
    Perto da noite estou
    O rumo encontro nas pedras
    Encontro de vez
    Um grande país eu espero
    Espero do fundo da noite chegar
    Mas agora eu quero tomar suas mãos
    Vou buscá-la onde for
    Venha até a esquina
    Você não conhece o futuro
    Que tenho nas mãos
    Agora as portas vão todas se fechar
    No claro do dia o novo encontrarei
    E no Curral D’el Rey
    Janelas se abram ao negro do mundo lunar
    Mas eu não me acho perdido
    Do fundo da noite partiu minha voz
    Já é hora do corpo vencer a manhã
    Outro dia já vem
    E a vida se cansa na esquina
    Fugindo, fugindo, pra outro lugar

  7. Nascente Veja mais

    Flávio Venturini, Murilo Antunes

    Clareia manhã
    O sol vai esconder
    A clara estrela
    Ardente
    Pérola do céu
    Refletindo
    Teus olhos
    A luz do dia a contemplar
    Teu corpo
    Sedento
    Louco de prazer
    E desejos
    Ardentes

  8. No rancho fundo Veja mais

    Ary Barroso, Lamartine Babo

    No rancho fundo
    Bem pra lá do fim do mundo
    Onde a dor e a saudade
    Contam coisas da cidade
    No rancho fundo
    De olhar triste e profundo
    Um moreno canta as mágoas
    Tendo os olhos rasos d’água
    Pobre moreno
    Que de noite no sereno
    Espera a lua no terreiro
    Tendo o cigarro por companheiro
    Sem um aceno
    Ele pega na viola
    E a lua por esmola
    Vem pro quintal deste moreno
    No rancho fundo
    Bem pra lá do fim do mundo
    Nunca mais houve alegria
    Nem de noite, nem de dia
    Os arvoredos
    Já não contam mais segredos
    E a última palmeira
    Já morreu na cordilheira
    Os passarinhos
    Enterraram-se nos ninhos
    De tão triste essa tristeza
    Enche de treva a natureza
    Tudo por que?
    Só por causa do moreno
    Que era grande, hoje é pequeno
    Para uma casa de sapê
    Se Deus soubesse
    Da tristeza lá da serra
    Mandaria lá pra cima
    Todo o amor que há na terra
    Porque o moreno
    Vive louco de saudade
    Só por causa do veneno
    Das mulheres da cidade
    Ele que era
    O cantor da primavera
    E que fez do rancho fundo
    O céu maior que tem no mundo
    Se uma flor desabrocha
    E o sol queima
    A montanha vai gelando
    Lembra o cheiro da morena

  9. Cruzada Veja mais

    Tavinho Moura, Márcio Borges

    Não sei andar sozinho
    Por essas ruas
    Sei do perigo que nos rodeia
    Pelos caminhos
    Não há sinal de sol
    Mas tudo me acalma no teu olhar
    Não quero ter mais sangue
    Morto nas veias
    Quero o abrigo do teu abraço
    Que me incendeia
    Não há sinal de cais
    Mas tudo me acalma no seu olhar
    Você parece comigo
    Nenhum senhor te acompanha
    Você também se dá um beijo dá abrigo
    Flor nas janelas da casa
    Olho no seu inimigo
    Você também se dá um beijo dá abrigo
    Se dá um riso dá um tiro
    Não quero ter mais sangue
    Morto nas veias
    Quero o abrigo do teu abraço
    Que me incendeia
    Não há sinal de cais
    Mas tudo me acalma no seu olhar
    Você parece comigo
    Nenhum senhor te acompanha
    Você também se dá um beijo dá abrigo
    Flor nas janelas da casa
    Olho no seu inimigo
    Você também se dá um beijo dá abrigo
    Se dá um riso dá um tiro

  10. Agnus Sei Veja mais

    João Bosco, Aldir Blanc

    Faces sob o sol, os olhos na cruz
    Os heróis do bem
    Prosseguem na brisa da manhã
    Vão levar ao reino dos minaretes
    A paz na ponta dos arietes,
    A conversão para os infiéis
    Para trás ficou a marca da cruz
    Na fumaça negra vinda na brisa da manhã
    Ah! Como é difícil tornar-se herói
    Só quem tentou sabe como dói
    Vencer satã só com orações
    Ê andá pacatárandá que Deus tudo vê
    Ê andá pacatárandá que Deus tudo vê
    Ê andá, ê orá, ê mandá, ê matá
    Responderei: não!
    Dominus, domínio, juros além
    Todos esse anos agnus sei que sou também,
    Mas, ovelha negra, me desgarrei,
    O meu pastor não sabe que eu sei da arma oculta na sua mão
    Meu profano amor eu prefiro assim:
    A nudez sem véus diante da Santa Inquisição
    Ah, o tribunal não recordará dos fugitivos de Shangri-lá…
    O tempo vence toda ilusão

  11. Clube da esquina no. 2 Veja mais

    Milton Nascimento, Lô Borges, Márcio Borges

    Porque se chamava moço
    Também se chamava estrada
    Viagem de ventania
    Nem lembra se olhou pra trás
    Ao primeiro passo, aço, aço, aço…
    Porque se chamavam homens
    Também se chamavam sonhos
    E sonhos não envelhecem
    Em meio a tantos gases lacrimogêneos
    Ficam calmos, calmos, calmos…
    E lá se vai mais um dia…
    E basta contar compasso
    E basta contar consigo
    Que a chama não tem pavio
    De tudo se faz canção
    E o coração na curva de um rio, rio, rio…
    E lá se vai mais um dia…
    E o rio de asfalto e gente
    Entorna pelas ladeiras
    Entope o meio fio
    Esquina mais de um milhão
    Quero ver então a gente, gente, gente…

  12. Jardim da Fantasia Veja mais

    Paulinho Pedra Azul

    Bem-te-vi, bem-te-vi
    Andar por um jardim em flor
    Chamando os bichos de amor
    Tua boca pingava mel
    Bem te quis, bem te quis
    E ainda quero muito mais
    Maior que a imensidão da paz
    Bem maior que o sol
    Onde estás?
    Voei por este céu azul
    Andei estradas do além
    Onde estará meu bem?
    Onde estás?
    Nas nuvens ou na insensatez
    Me beije só mais uma vez
    Depois volte prá lá

  13. O trem tá feio Veja mais

    Tavinho Moura, Murilo Antunes

    Disse que aqui mais nada é de graça, Nada é de coração
    Vamos num tal de toma de lá, dá cá, Minha nega eu pago pra ver
    Ver por debaixo o osso do angu
    Disse que aqui mais nada tem troco, Tudo o que vai não vem
    Perdem bodoque, facão, corneta, Quebra a defesa nega fulô
    Que o trem tá feio e é bem por aqui
    Meu facão guarani quebrou na ponta, Quebrou no meio
    Eu falei pra morena que o trem tá feio, Iá, iê, iá, oiá
    E a cana-caiana eu disse a raiva, Carne de sol
    Palha, forró e fumo de rolo, Tudo é motivo pra meu facão
    Arma de pobre é fome, é facão
    Abre semente, aperta inimigo, Espeta até gavião
    Corta sabugo e lança um desafio, Não conta nem até três
    Que o trem tá feio e é bem por aqui

  14. Um carro de bois Veja mais

    Alberto Caieiro, Renato Motha, Patrícia Lobato

    Quem me dera que minha vida Fosse um carro de bois
    Que vem a chiar, manhãzinha cedo, Pela estrada,
    E que para de onde veio volta depois
    Quase à noitinha pela mesma estrada
    Eu não tinha que ter esperanças Tinha só que ter rodas…
    A minha velhice não tinha rugas Nem cabelo branco…
    Quando eu já não servia, tiravam-me as rodas
    E eu ficava virado e partido no fundo de um barranco

  15. O medo de amar e o medo de ser livre Veja mais

    Beto Gudes, Fernando Brant

    O medo de amar é o medo de ser
    Livre para o que der e vier
    Livre para sempre estar onde o justo estiver
    O medo de amar é o medo de ter
    De a todo momento escolher
    Com acerto e precisão a melhor direção
    O sol levantou mais cedo e quis
    Em nossa casa fechada entrar, prá ficar
    O medo de amar é não arriscar
    Esperando que façam por nós
    O que é nosso dever: recusar o poder
    O sol levantou mais cedo e cegou
    O medo nos olhos de quem foi ver, tanta luz

  16. Laranja madura Veja mais

    Ataulfo Alves

    Você diz
    Que me dá casa e comida
    Boa vida e dinheiro pra gastar
    O que é que há minha gente
    O que é que há
    Tanta bondade
    Que me faz desconfiar
    Laranja madura
    Na beira da estrada
    Tá bichada, Zé
    Ou tem marimbondo no pé
    Santo que vê muita esmola
    Na sua sacola
    Desconfia
    E não faz milagres não
    Gosto da Maria Rosa
    Mas quem me dá prosa
    É Rosa Maria
    Vejam só que confusão

  17. Dois Rios Veja mais

    Lô Borges, Samuel Rosa, Nando Reis

    O céu está no chão
    O céu não cai do alto
    É o claro, é a escuridão
    O céu que toca o chão
    E o céu que vai no alto
    Dois lados deram as mãos
    Como eu fiz também
    Só pra poder conhecer
    O que a voz da vida vem dizer
    Que os braços sentem
    E os olhos veem
    E os lábios sejam
    Dois rios inteiros
    Sem direção
    O sol é o pé e a mão
    O sol é a mãe e o pai
    Dissolve a escuridão
    O sol se põe se vai
    E após se pôr
    O sol renasce no Japão
    Eu vi também
    Só pra poder entender
    Na voz a vida ouvi dizer
    Que os braços sentem
    E os olhos veem
    E os lábios beijam
    Dois rios inteiros
    Sem direção
    E o meu lugar é esse
    Ao lado seu, no corpo inteiro
    Dou o meu lugar pois o seu lugar
    É o meu amor primeiro
    O dia e a noite, as quatro estações

Talisman 2014

  1. Quando Eu Canto Veja mais

    Glaucia Nasser, Tiago Vianna, Paulo César Carvalho

    Quando eu canto
    Eu estou em mim
    Eu estou aí, aqui, ali
    Estou em todo canto
    Quando eu danço
    Eu estou ao vento
    Eu invento, entro, saio
    Caio , levanto
    Voo pra todo canto
    Sem o tempo pra marcar
    Sem horário pra chegar
    Calendários vou rasgar
    Do meu jeito vou andar
    Vou viver, sentir , sonhar , amar , cantar

  2. Encontro Veja mais

    Chico Pinheiro

    Se eu te tirar pra dançar
    E não souber te levar
    Há de haver um coração a me resgatar no salao
    Você demora a me ver
    O que se há de fazer
    Não sou nenhum Baldelaire
    Mas vou pro que der e vier
    Vem contar onde dá essa história
    Se ficou num download
    Em anexo ou na memória
    Afinal se é real
    Não nos importa
    1 mais 1 virtuais
    Esse encontro é tudo ou nada
    Se eu te dissesse que vim
    Predestinado a você
    Talvez sorrisse pra mim
    E até desvendasse o porque
    Mas tenho um medo sem fim
    De te perder sem te ter
    Melhor deixar tudo assim
    Aliás o que eu estava a dizer

  3. E quando quero Veja mais

    Bianca Gismonti

    Vejo a flor murchar, cair
    Vejo a dor crescer, ferir
    Enquanto espero, enquanto dá
    Enquanto quero, enquanto lar
    E quando espero, e quando dá
    E quando quero sair
    Vejo a flor sorrir, brotar
    Vejo a dor sumir, cansar
    Enquanto espero, enquanto dá
    Enquanto quero, enquanto lar
    E quando espero, e quando dar
    E quando quero sair
    Eu vejo a vida vai
    Eu vejo o tempo trái
    E te leva pra bem longe
    Eu te espero em outra parte
    Eu te busco no horizonte
    E quando o sol se pôr
    E quando o céu, em flor,
    Brotar você em mim
    Te encontrarei em
    Fim

  4. Talismã Veja mais

    Alexandre Lemos, Glaucia Nasser e Tiago Vianna

    Mandei você buscar o mar
    Pedi, cadê, foi navegar
    Depois do sul não tem ninguém
    Meu bem me dá meu mar azul
    E aí me faz um cafuné
    Me faz amor, me faz maré
    Manhã
    Manto de luz e cor
    Pele de lã
    Manhã
    Eu fiz do sol no mar
    Meu talismã
    Eu sou de sal, quem é que vê
    Meu litoral é pra você

  5. Ilu-ayê Veja mais

    Norvil Torquato Reis, Silva Silvestre David

    Negro cantava na nação nagô
    Depois chorou lamentos de senzala
    Tão longe estava de sua Ilu Ayê
    Tempo passou e no terreirão da casa grande
    Negro diz tudo que pode dizer
    É samba, é batuque, é reza
    É dança, é ladainha
    Negro joga capoeira
    E faz louvação à rainha
    Hoje, negro é terra
    Negro é vida
    Na mutação do tempo
    Desfilando na avenida
    Negro é sensacional
    É toda festa do povo
    É dono do carnaval

  6. Mandela Veja mais

    Anandi Gefroh, Glaucia Nasser, Tiago Vianna

    You stood in the sunlight
    In the prison yard
    Ripening like a fine wine for decades
    So we could imbibe in your truth
    You showed us the way
    Madiba king of your clan
    You were prepared to die for freedom, you were spared
    To burn an ember of hope
    Mandela, Mandela, Mandela, Mandela
    Mandela, Mandela, Mandela, Mandela
    You walked in the steps of wisdom
    Of those who came before
    Peaceful resistance against oppression, equality for all
    peace comes only from peace
    You showed us the way
    Madiba king of your clan
    You were prepared to die for freedom, you were spared
    To burn an ember of hope
    Mandela, Mandela, Mandela, Mandela
    Mandela, Mandela, Mandela, Mandela

  7. Abrigo Veja mais

    Glaucia Nasser, Tiago Vianna, Paulo César Carvalho

    Andei sem direção em busca de um lugar
    E o sol desaqueceu o brilho do olhar
    Tantas coisas eu vivi. Quantas coisas que eu vi
    E no fim o que restou em mim?
    O abrigo antigo, um olhar que não vê
    O Clarão do que vai ser
    Nas cores vivas do amanhecer
    A canção que vai nascer da flor no chão
    Eu senti o calor do verão
    Mergulhei no sabor da ilusão
    E foi lá que eu percebi que uma nova estação
    Está por vir nessa doce versão do amor
    Andei sem direção em busca de um lugar pra ver
    E o sol desaqueceu o brilho do olhar
    Tantas coisas eu vivi. Quantas coisas que eu vi
    E no fim o que restou em mim
    O abrigo antigo, um olhar que não vê
    O Clarão do que vai ser
    Nas cores vivas do amanhecer
    A canção que vai nascer da flor no chão
    Eu senti o calor do verão
    Mergulhei no sabor da ilusão
    E foi lá que eu percebi que uma nova estação
    Está por vir nessa doce versão do amor
    Que navega em mim, me faz sorrir e renascer
    Nas cores vivas do amanhecer,
    A canção que vai nascer da flor no chão
    Refrão

  8. Um olhar de fora Veja mais

    Jotta Veloso, Glaucia Nasser e Tiago Vianna

    Quem me vê na rede faceira
    Com um olhar distante, perdido
    Pode até pensar
    Que eu quero ir morar
    Junto ao Mar..
    Mas eu gosto de bananeira
    Desse mato da cachoeira
    Riacho curvo
    Pedras de seixo
    Me encantar…
    Cá é onde posso arriar
    O que o amor carregar em mim…
    Plantar pedreiras…
    Lar é onde posso morar
    Sem o medo de viajar
    Andarinhando por aí
    Eu não falo de brincadeira
    Eu gosto é de ser brejeira
    Correr no mato
    Brincando sério
    De namorar
    Eu sou como a luz de fogueira
    Queimo, brilho e ardo
    Por inteira
    Não sou boa de ficar
    Sou de me espalhar pelo ar

  9. Boca de Sirí Veja mais

    Chico Pinheiro, Paulo César Pinheiro

    Já me decidi
    Paro por aqui
    Amor de tititi não dá
    Pulei que nem saci
    Foi tanto que sofri
    Que não tá no gibi, não tá
    Eu já vou-me embora
    Vou zarpar
    Vou dar o fora
    Vou voar
    Vai ser agora
    E é pra já
    É essa a hora de mudar
    Pretendo escapulir
    Na moita eu vou sair
    Na boca de siri porque
    É lei de Murici
    Não vou nem discutir
    Não dá mais pra engolir
    Você

  10. Passos Veja mais

    Glaucia Nasser, Tiago Vianna, Alexandre Lemos

    Já me perguntei quem eu sou
    Quando começou?
    De onde eu vim?
    Sempre quis saber onde vai parar
    Onde fica o fim do mar
    E adivinhar
    Se o amor ia querer me esperar
    Ou se era pra esquecer
    E foi tanto amor que eu vi passar
    Que eu também passei de tanto amar
    E querer me encontrar
    E imaginar o que eu não fiz
    Qualquer hora eu posso ser feliz
    E viver o que eu sempre quis
    Os meus passos pelo chão podem passar
    Porque agora eu sei voar
    E de tanto amor que eu tenho em mim
    Pode ser que seja sempre assim
    O prazer de sonhar
    E de tanto que eu me perguntei
    Tanta coisa que eu adivinhei
    Que afinal eu já sei
    E se eu ando devagar
    Diz pro amor me esperar
    Porque agora eu sei de onde eu vim
    E agora eu sei que não tem fim
    E que o seu amor é só pra mim

Vambora 2010

  1. Canto, logo existo Veja mais

    Glaucia Nasser, Tiago Viana, Carlos Rennó

    Por cantar eu existo/Eu canto por isto/Não desisto de cantar//Ao cantar não resisto/Me rendo a isto/É mais forte que pensar//Em cantar eu insisto/Pois nada igual isto/Pra poder me encantar//Pra cantar eu existo/Como o sol existe/Pra brilhar e brilhar//E o rio existe pra/Fluir, fluir/A nuvem, pra flutuar/A lua, pra refletir/A flor, florir/E o mar, o mar…//Por cantar eu existo/Pois nada igual isto/Pro meu mal afugentar//Ao cantar eu não disto/De mim, em vez disto/Eu me encontro ao cantar//Pra cantar eu existo/Como o sol existe/Pra brilhar e brilhar//E o rio existe pra/Fluir, fluir/A nuvem, pra flutuar/A lua, pra refletir/A flor, florir/E o mar, o mar…//Quando o sol redondo brilha/Como nessa redondilha/Essa luz que maravilha/É o sol a cantar/Quando a
    gente tá cantando/Não importa onde ou quando/Essa voz irradiando/É a gente a brilhar//O rio existe pra/Fluir, fluir/A nuvem, pra flutuar/A lua, pra refletir/A flor, florir/E o mar, pra não terminar//Quando a gente tá cantando/Não importa onde ou quando/Essa voz irradiando/É a gente a brilhar//[A lua, pra refletir/A flor, florir/E o mar, o mar…]

     

    Ficha Técnica

    Glaucia Nasser: Voz | Marcio Nigro: violão, teclados, samplers e programação | Pedro Ito:
    Bateria | Serginho Carvalho: Baixo | Moisés Alves: Teclado, Piano | Felipe Rosseno: Percussão | Conrado Goys: Guitarra | Proveta: Clarinete | Hombre Cerutto: Trompete | Luiz Amato: Violino | Alex Ximenes: Violino | Fábio Tagliaferri: Viola | Adriana Holtz: Cello | Hugo Hori: Flauta

  2. Malandra Veja mais

    Glaucia Nasser, Tiago Vianna, Edu Krieger

    Dá pra ver//Alegria em seu olhar//Sem saber por que//Tem um quê de “popstar”//Sem você
    cadê// Poesia já não há//Meu prazer é ter//Seu encanto em meu cantar//Feliz como não vi
    ninguém/Na brisa do alvorecer/Na ginga desse seu andar//Quero, quero te ver chegar//Quero,
    quero te ver no samba//Um sorriso zen//Sempre a iluminar//Vida leve te levará//Nesse jeito de ser malandra//Vem comigo, vem, vem//Vem “malandrear”

     

    Ficha Técnica

    Glaucia Nasser: Voz | Marcio Nigro: cavaquinho e programação | Pedro Ito: Bateria | Serginho
    Carvalho: Baixo | Moisés Alves: Piano | Felipe Rosseno: Percussão | Proveta: Clarinete |
    Patrícia Mastrella: Fagote | Fernando Bastos: Sax Alto | HugoHori: Sax Tenor, flauta | Kito
    Siqueira: Sax Barítono | Emiliano Castro: Violão 7 cordas

  3. Olhar de Prata Veja mais

    Glaucia Nasser, Tiago Vianna, Chico Amaral

    Tanto tempo pra chegar/Tanta areia, tanto mar/Meu cansaço nestas rotas, eu e minhas botas/Procurando algum lugar//Pra ganhar aquele olhar de prata na madrugada//Quanto tempo pra cruzar/A fronteira entre nós/Meu caminho sai do mapa/Busca uma paragem/Sem ter pressa de chegar//Pra guardar aquele olhar de prata/Na madrugada/Pra trilhar aquela longa, longa estrada/Pra fugir na noite aberta//Quanto tempo pra saber/A exata direção/Sol vermelho, uma ânsia treme na distância/Sua reverberação//Pra ganhar aquele olhar de prata na adrugada/Pra trilhar aquela longa, longa estrada/Perceber que a noite é um punhal/E um desejo entre o céu e o nada/Percorrendo a longa estrada/Quanto tempo vai levar/Não há tempo pra dizer

     

    Ficha Técnica

    Glaucia Nasser: Voz | Marcio Nigro: Violão (afinação EBDGBD), bandolim, guitarra, teclados,
    samplers, voz e programação | Cuca Teixeira: Bateria | Serginho Carvalho: Baixo | Moisés Alves: Piano | Felipe Rosseno: Percussão Conrado Goys: guitarra | Hombre Cerutto: Trompete | Tiquinho: Trombone

  4. Quebradeira Veja mais

    Glaucia Nasser, Carlos Careqa

    Andar de bar/em bar Andar/Andei/Só sei aquilo/que não sei/Cansei de ser/Porta Bandeira/Agora eu quero desfilar/Sambar agora/vira brincadeira/Num verso torto/que eu te fiz/Banana/Só em bananeira/A santa vai sair do altar!//É quebradeira/Que passo guiará/Na
    capoeira/A ginga é o Ilá//Vou pular fogueira/ Vou pra Mangueira/Pra me encontrar//Banho de cachoeira/Na suingueira/A brasileira é quem vai me batizar//Cantar é tudo,/Tudo Que/se
    tem/Deixar levar-se/pela voz/Ole Olá/Mulher rendeira/Agora eu quero namorar//Dourar a
    pílula/Da ribanceira/Querer acreditar/No amor/Faz tempo que/Eu não dou bobeira/Te pego nas ondas do ar!//É quebradeira/Que passo guiará/Na capoeira/A ginga é o Ilá//Vou pular
    fogueira/Vou pra Mangueira/Pra me encontrar//Sou Brincadeira/Sou suingueira/Vou desfilar//A santa vai sair… do seu do altar//Banho de cachoeira/Na suingueira/A brasileira é quem vai me batizar

     

    Ficha Técnica

    Glaucia Nasser: Voz | Marcio Nigro: Violão, samplers e programação | Cuca Teixeira: Bateria | Serginho Carvalho: Baixo Moisés Alves: Teclados | Felipe Rosseno: Percussão | Conrado
    Goys: violão nylon, guitarra | Hombre Cerutto: Trompete Tiquinho: Trombone | Fernando
    Bastos: Sax Alto | HugoHori: Sax Tenor | Arranjo de metais: André Abujamra e Márcio Nigro

  5. Pensando em Você Veja mais

    Paulinho Moska

    Eu estou pensando em você./Pensando em nunca mais/Pensar em te esquecer/Pois quando
    penso em você/É quando não me sinto só/Com minhas letras e canções/Com o perfume das
    manhãs/Com a chuva dos verões/Com o desenho das maçãs/Com você me sinto bem//Estou
    pensando em você/Pensando em nunca mais/Te esquecer//Eu, pensando em você./Pensando
    em nunca mais/Pensar em te esquecer/ Pois quando penso em você/É quando não me sinto
    só/Com minhas letras e canções/Com o perfume das manhãs/Com a chuva dos verões/Com o
    desenho das maçãs/Com você me sinto bem.//Estou pensando em você/Pensando em nunca mais/Te esquecer/Estou pensando em você/Pensando em nunca mais/Te esquecer.//Estou pensando em você/Pensando em nunca mais/Te esquecer//Estou pensando em você/Pensando em nunca mais/Te esquecer.//Estou pensando em você/Pensando em nunca mais/Te esquecer

     

    Ficha Técnica

    Glaucia Nasser: Voz | Marcio Nigro: Violão (afinação CGCGCE), teclados, samplers e
    programação | Pedro Ito: Bateria | Serginho Carvalho: Baixo | Moisés Alves: Teclados | Felipe
    Rosseno: Percussão | Marcus Rampazzo: Pedal Steel | Luiz Amato: Violino | Alex Ximenes:
    Violino | Fábio Tagliaferri: Viola | Adriana Holtz: Cello

  6. Vambora Veja mais

    Glaucia Nasser, Tiago Vianna, Chico César

    Vambora/Agora/Que é hora de inventar/Eu e você um bom lugar/Que dê pra ir a pé/Vambora
    já/Pra namorar/Ou pra morrer de rir/Se quiser ir/É só sair/Lá fora e procurar//para um papo, um rapto, um guaraná,/para andar, respirar, pra voar, fugir/se perder sem saber até se achar/no
    sofá no tapete eu e você// tomara/de cara/que a lua esteja lá/prata no céu pra iluminar/a noite
    de nós dois/estrelas mil/cubram o brasil/a laje e o quintal/feito lençol/que eu e você/deixamos
    no varal//para um papo, um rapto, um guaraná,/para andar, respirar, pra voar, fugir/se perder sem saber até se achar/no sofá no tapete eu e você// só amar, amar, amar, amar/deixa a noite amanhecer/só amar, amar, amar, amar/nessa só eu e você

     

    Ficha Técnica

    Glaucia Nasser: Voz | Marcio Nigro: Violão (afinação DGDGBbD), teclados, samplers, voz e
    programação | Cuca Teixeira: Bateria | Serginho Carvalho: Baixo | Moisés Alves: Piano | Felipe
    Rosseno: Percussão | Conrado Goys: Guitarra, violão nylon | Luiz Amato: Violino | Alex
    Ximenes: Violino | Fábio Tagliaferri: Viola | Adriana Holtz: Cello

  7. Daqui pra frente Veja mais

    Glaucia Nasser, Tiago Vianna, Alexandre Lemos

    Dentro do sol/tem um raio que não tem fim/e esse raio feito pra mim/veio me brilhar//antes docéu/tem um outro tipo de ar/e que só eu sei respirar/sempre foi assim//dentro da paisagem/a miragem/paira sobre nós//se você não sabe/tudo cabe/na minha voz//é de pedra e não tem jeito de quebrar/é de vento e nem você vai me pegar/é de sal e vira mar/é de lua e tá guardado em meu olhar/é de fogo e eu preciso me queimar/vira asa pra voar//facho de luz/cauda de cometa lilás/o futuro olha pra trás/e já não me vê//ondas de som/nada tem que ter um porquê/mas eu só guardei pra você/esse nunca mais//dentro da bagagem/a coragem/vale a solidão//quando eu imagino/meu destino/na minha mão//é de pedra e não tem jeito de quebrar/é de vento e nem você vai me pegar/é de sal e vira mar/é de lua e tá guardado em meu olhar/é de fogo e eu preciso me queimar/vira asa pra voar

     

    Ficha Técnica

    Glaucia Nasser: Voz | Marcio Nigro: Violão (afinação BGDGBD), bandolim, guitarra, teclados,
    samplers e programação | Pedro Ito: Bateria | Adriana Holtz: Cello

  8. Roda Veja mais

    Glaucia Nasser, Tiago Vianna, Rodrigo Bergamota

    Chega de esperar o vento,/vou partir e procurar/água fresca, outra gente.//Me livrei do tempo
    lento,/fiz a bolha estourar,/vi brotar uma nascente…//Eu olhei,/ao amanhecer,/claro céu, imenso mar…//Eu bem sei,/que nadei sem saber nada,/fui assim até apagar//Abro os olhos de
    repente/tinham vindo me buscar,/era o novo, uma certeza.//Já não tenho aquela
    sede,/alimento, amor e paz,/estão juntos sobre a mesa…//Eu deixei,/ao anoitecer,/todo medo
    evaporar…//Eu senti/que aqui os ventos vão ventar/e a fogueira iluminar.//Foi quando eu vi/a roda a me rodar,/sou outra em meu lugar…//Chega de esperar o vento,/vou partir e
    procurar/água fresca, outra gente.//Me livrei do tempo lento,/fiz a bolha estourar,/vi brotar uma nascente…//Foi quando eu vi/a roda a me rodar,/Sou outra em meu lugar//Foi quando eu vi/a roda a me rodar,/rodar, rodar, rodar

     

    Ficha Técnica

    Glaucia Nasser: Voz | Marcio Nigro: Violão (afinação EBEG#BE), guitarra, teclados, samplers e programação | Cuca Teixeira: Bateria | Serginho Carvalho: Baixo | Moisés Alves: Teclado | Felipe Rosseno: Percussão | Conrado Goys: guitarra

  9. Le le ô Veja mais

    Glaucia Nasser, Tiago Vianna, Magno Mello

    Há, onde você não vê/mundo sempre a rodar/mostra sua beleza//vá, antes do anoitecer/busca em seu olhar/toda essa natureza//amanhã é sexta feira/mas ainda é fim de tarde/de uma linda quinta feira (leleô)//amanhã é sexta feira/mas ainda é fim de tarde/de uma linda vida inteira (leleô)//o canto da sereia pode encontrar/a fé que não se curva/acima da beleza é sem lugar/beleza que aprofunda//Já, longe de outro querer/onde você está/a vida é derradeira//dá, tudo que pode dar/porque sem amor não há/beleza que valha a pena//amanhã é sexta feira/mas ainda é fim de tarde/de uma uma linda quinta feira (leleô)//amanhã é sexta feira/mas ainda é fim de tarde/de uma linda vida inteira (leleô)//o canto da sereia pode encontrar/a fé que não curva/acima da beleza é sem lugar/beleza que aprofunda

     

    Ficha Técnica

    Glaucia Nasser: Voz | Marcio Nigro: Violão (afinação EBDGBE), bandolim, guitarra, teclados,
    samplers, voz e programação | Cuca Teixeira: Bateria | Serginho Carvalho: Baixo | Moisés
    Alves: Teclados, piano | Felipe Rosseno: Percussão | Conrado Goys: guitarra

  10. O Começo do infinito Veja mais

    Glaucia Nasser, Tiago Vianna, Carlos Careqa

    Sou estradeira, meu destino é por aí/O caminho é o mesmo, mas vou repetir/Minha bandeira
    tem as cores de partir/Sou do mundo, sou de cima, sou daqui, dali//E pra quem fica o meu
    verso mais bonito/O começo do infinito, esvaziar//O céu e a terra querem me ouvir/Gente é feita pra brilhar//Vou procurar não encontrar saída/Quando a vida é vivida, fica bem melhor//E pra quem ouve, este é o meu ofício/O precipício faz voar//Sou estradeira, meu destino é por aí/O caminho é o mesmo, mas vou repetir/Subo ladeira, faço a feira, macaxeira/Tenho um pé de laranjeira pra subir//O céu e a terra querem me ouvir/Gente é feita pra brilhar//Vou procurar não encontrar saída/Quando a vida é vivida, fica bem melhor//E pra quem ouve, este é o meu
    ofício/O precipício faz voar//Quem sabe vagueia/Quem sabe/Vagueia no ar/Vagueia no
    ar//Quem sabe vagueia/Quem sabe/Vagueia no ar/Vagueia no ar//E brilha pra sempre/Um
    brilho-farol/Feito raio de Luz/Aceso no sol//Brilha como farol/Um brilho meu e do sol

     

    Ficha Técnica

    Glaucia Nasser: Voz | Marcio Nigro: Violão (6 e 12 Cordas – afinação DADGAD), cavaquinho,
    teclados, samplers e programação | Pedro Ito: Bateria | Serginho Carvalho: Baixo | Moisés
    Alves: Piano | Felipe Rosseno: Percussão

  11. Quem falou? Veja mais

    Glaucia Nasser, Tiago Vianna, André Abumjanra

    Quem falou que a vida/é mesmo desse jeito/E que eu respondo sempre sim//Quem falou que o
    mundo/é pra gente grande/e Que essa rima é ruim//Quem falou que é sonho/falou e se
    enganou/eu não sou Gunga Din//quem falou o que eu sou/o que quero e devo sentir/quem
    falou o que vou vestir/já errou//vou virar do avesso/tirar o gesso/deixar de ser um réu//Respirar bem fundo/e girar o mundo/brincar de carrossel//Vou virar o jogo/pular no fogo/me embriagar de mel//vou com os olhos lá/no céu…//Quem falou que a porta/não está aberta/que ninguém está afim//Quem falou que eu vou/cantar num palacete/prefiro mais um botequim/Quem falou
    errou/Pois já dizia Chico/Eu vou e vou até o fim//quem falou que eu não sou/que é melhor eu
    desistir/quem falou o que vou sentir/se enganou//vou virar do avesso/tirar o gesso/deixar de ser um réu//Respirar bem fundo/e girar o mundo/brincar de carrossel//Vou virar o jogo/pular no
    fogo/me embriagar de mel//vou com os olhos lá…

     

    Ficha Técnica

    Glaucia Nasser: Voz | Marcio Nigro: Violão (afinação DbAbDbGbBbDb), bandolim, cavaquinho, guitarra, teclados, samplers, voz e programação | Cuca Teixeira: Bateria | Serginho Carvalho: Baixo | Moisés Alves: Piano | Felipe Rosseno: Percussão | Conrado Goys: guitarra

  12. Mais uma vez Veja mais

    Flávio Venturini, Renato Russo

    Mas é claro que o sol/Vai voltar amanhã,/Mais uma vez, eu sei/Escuridão já vi pior/De
    endoidecer gente sã/Espera que o sol já vem//Tem gente que está do mesmo lado que
    você/Mas deveria estar do lado de lá/Tem gente que machuca os outros/Tem gente que não
    sabe amar/Tem gente enganando a gente/Veja nossa vida como está/Mas eu sei que um dia a
    gente aprende,//Se você quiser alguém em quem confiar/ Confie em si mesmo/Quem acredita
    sempre alcança//Mas é claro que o sol/Vai voltar amanhã,/Mais uma vez, eu sei/Escuridão já vi
    pior/De endoidecer gente sã/Espera que o sol já vem//Nunca deixe que lhe digam que não vale
    a pena acreditar no sonho que se tem/Ou que seus planos nunca vão dar certo/Ou que você
    nunca vai ser alguém//Tem gente que machuca os outros/Tem gente que não sabe amar/Mas
    eu sei que um dia a gente aprende//Se você quiser alguém em quem confiar/Confie em si
    mesmo/Quem acredita sempre alcança.

     

    Ficha Técnica

    Glaucia Nasser: Voz | Marcio Nigro: Violão (afinação DGDGBD), bandolim, guitarra, teclados,
    samplers e programação | Pedro Ito: Bateria | Serginho Carvalho: Baixo | Moisés Alves: Piano,
    teclados | Felipe Rosseno: Percussão | Conrado Goys: Guitarra, violão nylon | Gabriel Levy:
    Acordeon | Luiz Amato: Violino | Alex Ximenes: Violino | Fábio Tagliaferri: Viola | Adriana Holtz:
    Cello

A Vida Num Segundo 2008

  1. Basta Sentir Veja mais

    Andréa Flor

    Buscar o que a vida enfim
    Me traz para desvendar
    Perder muito pra encontrar
    Tocar o melhor de mim
    Me amar pra saber te amar
    E ser quem eu quero ser
    Como eu sonhei
    Simples se fez
    Basta sentir
    E a vida está
    Neste momento
    Sinto meu corpo
    Respirando a vida
    Em seu lugar
    Buscar o que a vida enfim
    Me traz para desvendar
    Ganhar muito pra perder
    Tocar o melhor de mim
    Me amar pra saber
    Te amar e ser
    Quem eu quero ser
    Como eu sonhei
    Simples se fez
    Basta sentir
    E a vida está
    Brilha olhar
    Ao me escutar
    Vá e não desista
    Conquistar
    Tocar o melhor de mim
    Me amar pra saber te amar
    E ser quem eu quero ser

     

    Ficha Técnica

    Música: Glaucia Nasser e Ivan Rosa

    Bateria: Léo Pires
    Baixo: Ivan Rosa
    Piano: Christiano Caldas
    Percussão: Marco Lobo
    Violão de aço e guitarra: Luiz Enrique

  2. A vida num segundo Veja mais

    Andréa Flor

    Lá vai um dia que passou
    O povo está a turbinar
    É hora de pegar metrô
    No rush de algum lugar
    No ritmo do interior
    Dá tempo de se prosear
    Um beijo pra se despedir
    E o dia ainda não acabou
    São vidas pra variar
    Se convencer
    Numa o tempero é viver
    Noutra ganhar
    Se estresso numa capital
    Ninguém sequer vai me notar
    Privacidade posso ter
    Anônimo eu vou ficar
    No clima do interior
    Vizinhos vão querer cuidar
    Especulando pra saber
    Quem ontem foi me visitar
    Rostos sozinhos estão
    Tristes, cansados
    Rostos enxergam você
    Sua estória sabem

     

    Ficha Técnica

    Música: Glaucia Nasser e Ivan Rosa

    Bateria: Léo Pires
    Baixo: Ivan Rosa
    Percussão: Marco Lobo
    Violão De Aço: Luiz Enrique

  3. Vida em Cena Veja mais

    Andréa Flor

    Corta! A cena tem que parar
    Não dá de fato eu cansei… Demais
    O tempo inteiro estar
    Torcendo pra agradar
    Dá pra rir do quanto eu seduzia
    Sem querer o mesmo repetia
    Coloquei o mundo todo
    Pra julgar o que eu valia
    Personagem que eu fui
    Que devolvo para a vida conhecer!
    Olhar…
    Corta! A cena tem que parar
    Não dá de fato eu cansei… Demais
    O tempo inteiro estar
    Torcendo pra agradar
    Quando eu vi, estava na novela
    Noite e dia preso sem janela
    O final não é pra mim
    Recusar ou desistir
    Personagem que eu fui
    Que devolvo para a vida conhecer!
    E ver… Passar

     

    Ficha Técnica

    Música: Glaucia Nasser

    Bateria: Léo Pires
    Baixo: Ivan Rosa
    Piano: Christiano Caldas  
    Violão De Aço: Luiz Enrique
    Guitarra: Rogério Delayon
    Viola: Glaucia Martins De Barros
    2° Violino: William Branham Martins Barros
    1° Violino: Elias Martins De Barros
    Viola Cello: Antônio Maria Pompeu 

  4. Introdução a Clareia Veja mais

    Marta Costa

    Clareia clareia ia ia clareia ia ia clareia
    Só um grito rouco a levar a nossa dor
    Se é causa pra outro dia quem vai
    Lembrar? tem

     

    Ficha Técnica

    Música: Glaucia Nasser

    Participação De Luiz Enrique
    Piano Rhodes: Christiano Caldas 
    Percussão: Bill Lucas

  5. Clareia Veja mais

    Marta Costa

    Tem bala perdida não dá pra parar
    Tem guerra rendida e paz para armar
    Clareira na mata: temos que fechar
    Tribuna calada: temos que ecoar
    Todo verbo carrega a missão de clarear
    Ver, rever, lutar, amar, ouvir e respeitar
    Tanta gente no caminho espera a sua mão
    Se for conjugar é tão mais fácil a gente
    Chegar lá
    O que é amor sem amar? Sol sem raiar
    Saia dessa trincheira a rastejar
    Não tem a escola, vive a escuridão
    Não tem a coragem, perde esse chão
    Comida na mesa não só pra você
    Aprenda e ensina, aprenda a aprender
    Levanta e clareia! A mudança
    Que queremos ver no mundo
    Começa dentro de nós
    Levanta e clareia! A esperança
    Deixar brilhar nossa luz
    Tirar de dentro o melhor
    Levanta e clareia!

    A conciência
    Tanta gente no caminho
    Espera sua mão
    Levanta e clareia!
    Nossa vida tem valor

     

    Ficha Técnica

    Música: Glaucia Nasser e César Braga

    Participação de Luiz Enrique
    Bateria: Léo Pires
    Baixo: Ivan Rosa
    Piano Rhodes e Teclados: Christiano Caldas
    Percussão: Marco Lobo
    Violão de Aço: Luiz Enrique
    Guitarra: Rogério Delayon
    Coro: Samuel Frade, Sheila Sabino, Eustáquio Ramos, Mônica Esteves, Roberto Vianna, Rita
    Santiago, Marta Costa E Grupo Verbos e Versos 

  6. Estação Sol Veja mais

    Andréa Flor

    Dos jardins eu vim
    Acalmar a dor
    Infiltrando a luz
    Afirmar a cor
    Se a tristeza vem
    Invadindo a flor
    Lembra que o sol
    O impossível fez
    Eu canto pra tirar a areia
    E dizer que errar é bom
    Só tentar, valeu
    Eu canto pra tirar a areia
    E dizer acertei!
    De tanto errar
    Deixo o deserto guerrear
    Caindo a chuva… Me passar
    Vejo a nascente soluçar
    E se a esperança está em mim?
    Dos jardins eu vim
    Acalmar a dor
    Infiltrando a luz
    Afirmar a cor

     

    Ficha Técnica

    Música: Glaucia Nasser e Ivan Rosa

    Bateria: Léo Pires
    Baixo: Ivan Rosa
    Órgão Hammond: Christiano Caldas
    Percussão: Marco Lobo 
    Violão De Aço: Luiz Enrique 
    Guitarra: Rogério Delayon 

  7. Sambista Bom Veja mais

    Marta Costa

    Veja só como é justa a minha queixa:
    Plataforma, arrastão, brinco na orelha
    Vou pra escola aprender e logo chega
    Alguém só pra cantarolar a noite inteira
    Sambista bom é aquele que nos tira da cadeira
    Que nos faz girar na roda até o dia clarear
    Mas todo bamba de escola chega com refrão
    Pra me ensinar
    Só to aqui pra sambar!
    Não se aprende a sambar olhando espelho
    Fácil a ginga, mas difícil o reboleio
    Eu preciso de um par pra entrar na roda
    Para suar toda casaca e cartola
    Sambista bom é aquele que nos tira da cadeira
    Que nos faz girar na roda até o dia clarear
    Mas todo bamba de escola chega com histórias
    Pra contar
    Só to aqui pra sambar!

     

    Ficha Técnica

    Música: Glaucia Nasser e Ivan Rosa / Inspiração Melódica: Felipe Nasser

    Bateria: Léo Pires 
    Baixo: Ivan Rosa 
    Piano: Christiano Caldas 
    Percussão: Emília Chamone 
    Violão De Nylon: Luiz Enrique
    Sax Tenor e Arranjo de Metais: Marcelo Rocha 
    Sax Alto: Kleber Martins                         Trombone: Rodrigo Pelezinho
    Trompete: Léo Cruz 

  8. Amor Fugaz Veja mais

    Marta Costa

    Ele chega liga a tv pra mim
    Ele não quer namorar
    Não aquece, nem me tira o ar
    Não me ganha com o olhar
    Ele sai e diz que já vai voltar
    Ele não quer namorar
    Quando chega tão cansado, enfim
    Ele nem olha pra mim
    Meu bilhete esqueceu de ler
    O meu beijo marca só papel
    O seu colarinho em linho bom
    Não conhece o meu batom
    Eu quero mais, não apenas um amor fugaz
    Eu quero mais e você tem muito mais pra dar
    Eu quero mais, não apenas esse amor fugaz
    Eu quero mais, nosso tempo a gente faz
    Hoje cedo ouvi na televisão
    Que o amor é quase assim:
    Um pro outro e outro só pra si

    Mas eu tenho outra versão
    Já pintei as unhas de carmim
    Pra chamar sua atenção
    Tem perfume e luvas de cetim
    Pra aumentar a sedução
    Eu não quero ouvir outro chamar
    Que nos tire do nosso lugar
    Só um lindo dia amanhecer
    De tanto te amar

     

    Ficha Técnica

    Música: Glaucia Nasser e Ivan Rosa

    Participação de Luiz Enrique
    Bateria: Léo Pires 
    Baixo: Ivan Rosa 
    Piano: Christiano Caldas 
    Programação de Loops e Samples
    Percussão: Emília Chamone 
    Violão de Aço e Guitarra: Luiz Enrique 
    Backing Vocals: Samuel Frade 

  9. Dois a se Amar Veja mais

    Andréa Flor

    No remanso do seu olhar
    Pela fresta vou lhe enxergar
    Ceder efêmera
    Na voz que fala
    Me encanta o ser que vi
    Meu espelho pra decifrar
    Domar instintos
    Me ver inteira
    O segredo ver:
    Dois a se amar… É brincar
    Sem mais nada a se pensar
    Sem motivo qualquer
    Os sorrisos juntar
    No remanso do seu olhar
    Pela fresta vou lhe enxergar
    Ceder efêmera
    Na voz que fala
    O segredo ver:
    Dois a se amar… É brincar
    Sem mais nada a se pensar
    Sem motivo qualquer
    Os sorrisos juntar

     

    Ficha Técnica

    Música: Glaucia Nasser

    Participação Vocal: Renato Motha 
    Bateria: Léo Pires 
    Baixo: Ivan Rosa
    Piano Elétrico: Christiano Caldas 
    Percussão: Marco Lobo 
    Violões de Aço e Nylon: Luiz Enrique 
    Viola: Glaucia Martins De Barros 
    2° Violino: William Branham Martins Barros 

    1° Violino: Elias Martins De Barros
    Viola Cello: Antônio Maria Pompeu

  10. Diário Veja mais

    Marta Costa

    Já não sei, não quero saber
    Se consigo viver sem você
    Só escrevo aqui
    A dor de um coração
    Ontem fui sua felicidade
    Hoje é mesa de botequim
    E eu escrevo aqui
    Meu deus tem dó de mim
    Então não dá, esta mágoa a me engasgar
    Que na folha do diário fui deixar
    Tem lá seu perfume bom
    Carta sua pedindo perdão
    Um rasgado 3 x 4
    E oração
    Tem lá a grande lição:
    Amar sustenta o coração
    Deixo a mágoa no diário
    Não foi em vão
    Eu não rasgo as folhas
    Viro pro passado
    Faço planos pra amanhã
    Ponho lá outro retrato
    Abro a janela
    Mudo de cenário
    Amanhã tem novo amor
    No meu diário
    Tem lá o nosso refrão
    Com acordes de violão
    Cada página virada
    É mais uma canção

     

    Ficha Técnica

    Música: Glaucia Nasser

    Bateria: Léo Pires 
    Baixo Ivan Rosa 
    Piano: Christiano Caldas 
    Percussão: Rogério Sam 
    Violão de Aço e Guitarra: Luiz Enrique
    Guitarra: Rogério Delayon

  11. Louca Aventura Veja mais

    Andréa Flor

    Louca aventura
    Viajar pela vida
    Pego esse trem e vou
    Sem um mapa
    A me guiar
    Quero encontrar
    Alguém pra vir
    Abro os braços pra pular…
    Nos sonhos meus!
    Pouca rotina
    Pra dizer o que vou fazer
    Fica mais fácil
    Descobrir e ver
    O que tem pra ser
    Quero encontrar
    Alguém pra vir
    Abro os braços pra pular…
    Nos sonhos meus!
    Brilho os olhos
    Traço o rumo
    Toda porta vai se abrir!
    Brilho os olhos
    Ganho a vida
    Meus limites pra vencer!

     

    Ficha Técnica

    Música: Glaucia Nasser e César Braga

    Participação De Luiz Enrique
    Bateria: Léo Pires 
    Baixo: Ivan Rosa 
    Piano: Christiano Caldas 
    Percussão: Marco Lobo 
    Violão de Aço: Luiz Enrique 
    Violino: Marcus Viana 

  12. Povo do Brasil Veja mais

    Andréa Flor

    Povo do Brasil, Brasileiro eu sou
    Mostra como é generoso sim
    Gosta de acolher, sem necessitar
    Pouco a defender
    Povo do Brasil, sabe até brincar
    De tanto sorrir, vai se adaptar
    Pode transgredir só pra ultrapassar
    Grande e quer amar
    Rios e mar…longas praias pra deitar
    São sotaques para ouvir
    São costumes pra ensinar
    Rios e mar… Muita terra pra cheirar
    São montanhas a subir
    Cores vivas para entrar
    Povo do Brasil, Brasileiro eu sou
    Mostra como é generoso sim
    Gosta de acolher, sem necessitar
    Pouco a defender
    Se para governar, vão homens sem moral
    Sem se definir, vale tudo enfim

    Vão sacrificar todo povo aqui
    Sem prever além
    Vá se lavar! Esta cara no shampoo
    Expulsar o desamor
    A vergonha de trair
    Vá se lavar! Todos netos vão nascer
    Pare de desmerecer
    O destino de um lugar
    Se para governar, vão homens sem moral
    Sem se definir, vale tudo enfim
    Vão sacrificar todo povo aqui
    Sem prever além
    Povo do Brasil, sabe até brincar
    De tanto sorrir, vai se adaptar
    Pode transgredir só pra ultrapassar
    Grande e quer amar
    Sente menor, mas não é
    Por ser o que vê
    Teu coração… Primeiro mundo Brasil
    É sem preço!
    Se para governar, vão homens sem moral
    Sem se definir, vale tudo enfim
    Vão sacrificar todo povo aqui
    Sem prever além

     

    Ficha Técnica

    Música: Glaucia Nasser e Ivan Rosa

    Participação De Luiz Enrique
    Bateria: Léo Pires 
    Baixo: Ivan Rosa
    Piano: Christiano Caldas 
    Percussão: Marco Lobo
    Violão de Aço: Luiz Enrique 
    Violino: Marcus Viana 

  13. No Tom da Terra Veja mais

    Andréa Flor

    Cantar pra trazer o bom humor
    Sorrir… E o tempo parar
    Sentir que neste lugar que está
    A vida vai começar
    Cantar pra fazer um gol chegar
    Driblar o que vem parar
    Fazer para um povo se erguer
    Cantar pro país mudar
    Tantos povos são, tanta gente aqui
    Buscando algo que quer
    Dizer que somos iguais
    É claro que somos sim
    Mas somos especiais
    Não importa em que país
    Cantar pra trazer o bom humor
    Sorrir… E o tempo parar
    Sentir que neste lugar que está
    A vida vai começar
    Cantar pra fazer um gol chegar
    Driblar o que vem parar
    Fazer para um povo se erguer
    Cantar pro país mudar
    Tantos povos são, tanta gente aqui
    Buscando algo que quer
    Dizer que somos iguais
    É claro que somos sim
    Mas somos especiais
    Não importa em que país

     

    Ficha Técnica

    Música: Glaucia Nasser e Ivan Rosa

    Vozes Ao Fundo: Jean Claude Obry, Sérgio Hotimsky, André Gabanyi e César Augusto
    Baigorria
    Percussão: Bill Lucas 
    Percussão: Rogério Sam 
    Violão de 7 Cordas: Geraldo Magela 
    Cavaquinho: Dudu Braga 
    Baixo: Ivan Rosa 
    Coro: Verbos e Versos 
    Coro: Eustáquio Ramos 
    Coro: Mônica Esteves 
    Coro: Roberto Vianna 
    Coro: Rita Santiago 
    Coro: Marta Costa

  14. Tornar a Ser Veja mais

    Andréa Flor

    E se você
    Pudesse agir
    Ser o que quer
    Largar o que não é…
    Por querer
    Se perdoar
    Do que não quis
    Fazer e fez,
    Que quis e não tentou
    Se curar
    Cada manhã
    Explode em luz
    Um dia a mais!
    Vai brilhar
    E se você
    Quisesse agir
    Acreditar
    Que pode ser assim…
    Por saber
    Cada manhã
    Explode em luz
    Um dia a mais!
    Vai brilhar
    Desconfia se algum dia
    Alguém disser que a vida é má
    O que pensa te ajuda
    Ou machuca o seu andar
    Se levanta e vai!
    A vontade é
    O seu bem maior que traz
    Se atreva!
    Favoreça tudo que te faz tentar

     

    Ficha Técnica

    Música: Glaucia Nasser e Ivan Rosa

    Participação de Luiz Enrique
    Violão De Aço: Luiz Enrique

Bem Demais 2006

  1. Urgente Veja mais

    Alexandre Az, Edílson Dhio

    Já faz tanto tempo que te vi
    Mas teu olhar no meu ainda dorme assim
    Atiça o meu desejo
    Procuro aquele beijo que partiu
    Faço planos pra te ver
    E sei que você mora agora e sempre
    Bem dentro, aqui
    Vou degustando o seu amor urgente
    Procuro por você
    Por sermos tão iguais
    De tão urgente te buscar
    Um dia não te perco mais
    Não te perco mais
    Faço planos, pra te ver
    E sei que você mora agora e sempre
    Bem dentro aqui
    Vou degustando o seu amor urgente
    Procuro te encontrar
    E sempre quero mais
    De tanto a gente se sentir
    Já vi que somos tão iguais
    Somos tão iguais

    Ficha Técnica

    Arranjo, piano e teclados: Luiz Avellar
    Violão: Leo Amoedo
    Baixo: Marcelo Mariano
    Bateria: Jurim Moreira
    Percussão: Armando Marçal

  2. Pretensão Veja mais

    Paulinho Da Viola, Carlinhos Vergueiro

    Eu ajo como se você me pertencesse
    Se eu erro é porque te amo demais
    Os meus enganos são planos pra te preservar
    Dos males que a humanidade faz

    Eu sei que é pretensão
    Pensar em proteger
    Alguém tão livre como eu não consigo ser
    Enquanto houver ainda em mim um pouco de paixão
    Eu não desistirei assim tão fácil de você

    Ficha Técnica

    Arranjo, piano e teclados: Luiz Avellar
    Violão: Leo Amoedo
    Baixo: Marcelo Mariano
    Bateria: Jurim Moreira
    Percussão: Armando Marçal

  3. Verdadeiro Amor Veja mais

    Alexandre Leão, Manuca Almeida

    Em tudo que um casal tinha que combinar
    A gente combina
    Pois tudo que me falta você tem pra dar
    E a história não termina
    A gente se renova em cada por do sol
    Em cada gesto, em cada olhar
    E toda pedra posta no caminho
    É um motivo pra recomeçar
    Nós dois somos a prosa e a poesia
    Destino e desatino
    Nós dois somos um nó que não desata mais
    Eterna fantasia
    Deixa o sol nascer, deixa o peito sangrar
    O amor se confundir com a dor
    Esqueça tudo e deixa o coração falar Do verdadeiro amor

    Ficha Técnica

    Arranjo, piano e teclados: Luiz Avellar
    Violão e guitarra: Leo Amoedo
    Baixo: Marcelo Mariano
    Bateria: Jurim Moreira
    Percussão: Armando Marçal

  4. Bem Demais Veja mais

    Ivan Lins, Celso Viáfora

    Não temos tudo
    Nem somos o nada
    Eu fiz o que foi capaz
    Você fez o que deu
    E tudo bem demais
    No tempo curto
    Na grana apertada

    Fizemos tanto, tanto amor
    Fiquei de um jeito seu
    Você que nem eu sou
    Perto do cinema o amor parece nada
    Perto da novela o amor parece nada
    Coisa tão pequena, cenas apagadas
    Ah, meu amor, a vida é muito mais
    Dane-se a tela, o filme e a novela
    E os amores mais febris
    A gente é tão feliz
    Que não sai de cartaz

    Ficha Técnica

    Arranjo, piano e teclados: Luiz Avellar
    Guitarra: Vinicius Rosa
    Flugel: Jessé Sadoc
    Baixo: Marcelo Mariano
    Bateria: Jurim Moreira

  5. Canção para um grande amor Veja mais

    Isabela Taviani

    Mas agora vai
    Deixa o vento te seduzir
    Deixa o novo sonho te invadir
    E não volte nunca mais aqui pra me esperar
    Agora vai, lança teu destino em outro mar
    Não recues nunca pra ancorar
    Nunca pra duvidar
    Deixa o sol queimar a tua pele
    Deixa o céu forrar a tua cama
    Deixa amanhecer tua chama, teus desejos
    Mas agora vai
    Porque há vida em outra dimensão
    Porque há paz no outro coração
    Porque com a gente não?
    Porque com a gente não?
    Agora vai buscar os novos horizontes
    Pousar no colo de outros ombros
    Saciar a sede do teu corpo louco
    É, deixa o sol queimar a tua pele
    Deixa o céu forrar a tua cama
    Deixa amanhecer tua chama, teus desejos
    Deixa o sol queimar a tua pele
    Deixa o céu forrar a tua cama
    Deixa amanhecer tua chama, teus desejos
    Vai pra sempre, vai
    Ser feliz é uma estrada sem fim
    Tens a força que eu nunca atingi
    Tens a dor, mas ainda sei que tens a mim

    Deixa o sol queimar a tua pele
    Deixa o céu forrar a tua cama
    Deixa amanhecer tua chama, teus desejos

    Ficha Técnica

    Arranjo, piano e teclados: Luiz Avellar
    Violão: Leo Amoedo
    Baixo: Marcelo Mariano
    Bateria: Jurim Moreira
    Percussão: Armando Marçal

  6. Sobre o Tempo Veja mais

    John

    Tempo, tempo, mano velho
    Falta um tempo ainda, eu sei
    Como zune o novo sedã
    Tempo, tempo, tempo mano velho
    Vai, vai, vai, vai, vai, vai
    Fique comigo, seja legal
    Eu conto contigo pela madrugada
    Só me derrube no final

    Ficha Técnica

    Concepção e piano: Christiano Caldas

  7. Depois daquele olhar Veja mais

    Alexandre Leão, Manuca Almeida

    Não cabiam palavras
    Depois daquele olhar
    Você leu minha história
    Nem precisei contar
    Você despiu meu pensamento
    E me levou noutra viagem
    Eu não pensei nenhum momento
    Eu não podia imaginar
    Porque tudo está dito, porque é tão bonito
    E o destino não muda o que já estava escrito
    Porque eu sempre acredito e não posso esquecer
    Que uma vida é bem pouco pra viver com você
    Não cabiam palavras
    Depois daquele olhar
    Você leu minha história
    Nem precisei contar
    Você despiu meu pensamento

    E me levou noutra viagem
    Eu não pensei nenhum momento
    Eu não podia duvidar
    Porque tudo está dito, porque é tão bonito
    E o destino não muda o que já estava escrito
    Porque eu sempre acredito e não posso esquecer
    Que uma vida é bem pouco pra viver com você

    Ficha Técnica

    Arranjo, piano e teclados: Luiz Avellar
    Guitarra: Leo Amoedo
    Baixo: Marcelo Mariano
    Bateria: Jurim Moreira

  8. Balanço Zona Sul Veja mais

    Tito Madi

    Balança toda pra andar
    Balança até pra falar
    Balança tanto que já balançou meu coração
    Balance mesmo que é bom
    Do Leme até o Leblon
    E vai juntando um punhado de gente
    Que sofre com o seu andar
    Mas ande bem devagar
    Que é pra não se cansar
    Vai caminhando balançando sem parar
    Balance os cabelos teus
    Balance cai, mas não cai
    E se cair vai caindo, caindo nos braços meus

    Ficha Técnica

    Arranjo e sax soprano: Marcelo Rocha
    Teclados e programação: Christiano Caldas
    Guitarra: Luiz Enrique
    Baixo: Ivan Rosa
    Bateria: Leo Pires

  9. Drão Veja mais

    Gilberto Gil

    Drão o amor da gente é como um grão
    Uma semente de ilusão
    Tem que morrer pra germinar
    Plantar n’algum lugar
    Ressucitar no chão, nossa semeadura
    Quem poderá fazer aquele amor morrer
    Nossa caminha dura
    Dura caminhada

    Pela noite escura
    Drão não pense na separação
    Não despedace um coração
    O verdadeiro amor é vão
    Estende-se infinito, imenso monolito
    Nossa arquitetura
    Quem poderá fazer aquele amor morrer
    Nossa caminha dura
    Cama de tatame pela vida afora
    Drão os meninos são todos sãos
    Os pecados são todos meus
    Deus sabe a minha confissão
    Não há o que perdoar
    Por isso mesmo é que há
    De haver mais compaixão
    Quem poderá fazer aquele amor morrer
    Se o amor é como um grão
    Morre e nasce trigo
    Vive e morre pão

    Ficha Técnica

    Arranjo: Marcelo Rocha
    Teclados: Christiano Caldas
    Guitarra: Luiz Enrique
    Baixo: Ivan Rosa
    Bateria: Leo Pires

  10. Escândalos de luz Veja mais

    Affonsinho

    Vou pedir pro céu ficar azul demais
    Pro cheiro da flor do manacá te perfumar
    Eu vou te levar pra ver o amor passar
    Por toda a cidade
    Em cada lugar tão longe
    Que parece nem ser de verdade
    Vou pedir pro sol ficar até mais tarde
    E a brisa do mar a nos carregar pra algum lugar bom
    Eu vou te contar que a vida é boa
    Oh, ela é tão boa
    Se você não vai o tempo vai e voa
    Como ele voa
    Vou fazer barulho até você notar
    Anjos e escândalos de luz vão te acordar
    Ninguém vai te dar o que você não é, não, não
    A felicidade nesse mundo é pra quem quer

    Ficha Técnica

    Arranjo, piano e teclados: Luiz Avellar
    Violão: Vinicius Rosa
    Steel guitar: Rick Ferreira

    Baixo: Marcelo Mariano
    Bateria: Jurim Moreira
    Percussão: Armando Marçal

  11. Voa Veja mais

    Ivan Lins, Leda Selma de Alencar

    Se teu sonho for maior que ti
    Alonga tuas asas, esgarça os teus medos
    Amplia o teu mundo
    Dimensiona o infinito
    E parte em busca da estrela
    Voa alto, voa longe
    Voa livre, voa
    Esparrama pelo caminho
    A solidão que te roubou
    Tantas fantasias, tanto carinho
    Tanta vida
    Voa alto, voa longe
    Voa livre, voa

    Ficha Técnica

    Arranjo e sax alto: Marcelo Rocha
    Teclados e programação: Christiano Caldas
    Guitarra: Luiz Enrique
    Baixo: Ivan Rosa
    Bateria: Leo Pires

  12. O luar vai me dizer Veja mais

    Totonho Vileroy, Reinaldo Arias

    O luar vai me dizer pra onde vou
    Onde está, quero sentir o teu calor
    E ficar a noite inteira ao teu lado, amor
    Amor não é um jogo
    Não foi feito pra brincar
    Cuidado com as palavras
    Que você vai me dizer
    Não falta quase nada
    Pra eu me apaixonar por você
    Queria estar mais perto pra poder te escutar
    As luzes da cidade apagaram outra vez
    As ruas são desertos
    Que atravesso a procurar por você
    Ah, eu sai, rodei o mundo e quis voltar
    Eu senti que algo ia acontecer
    Ah, quantas voltas esta história ainda vai dar
    Até que a gente possa se entender

    O luar vai me dizer pra onde vou
    Onde está, quero sentir o teu calor
    E ficar a noite inteira ao teu lado, amor

    Ficha Técnica

    Arranjo, piano e teclados: Luiz Avellar
    Guitarra: Vinicius Rosa
    Baixo: Marcelo Mariano
    Bateria: Jurim Moreira
    Percussão: Armando Marçal

Glaucia Nasser 2003

  1. Lábios de Cetim Veja mais

    Anísio Dias

    Divagar rever meu ser vi
    nascer um afã nas palavras
    discretas cobertas de memórias
    escondidas nas lidas da
    timidez acordar o mundo
    de um estranho cortês
    degustar a pele e a fera
    escorrer os dedos nas maças
    entre os lábios ancora a flor
    insiste o beijo de cetim e
    acalma o ar que em chamas
    se derreteu aquece o sangue e
    a sede de ficar nasci pra ser
    seu sim e você meu ar
    respirar o seu calor e
    transpirar murmúrios
    musicar os seus cabelos
    contornar seu corpo nu nos
    carinhos que o desejo
    conduz desenhar os traços
    de um perfil de pele de
    veludo e o quarto guarda as
    faces de semblantes que
    clareiam luz.

    Ficha Técnica

    Violão base: Anísio Dias
    Violão solo, vocal e ganzá de unha: Renato Motha
    Piano: Felipe Moreira
    Baixo: Ivã Correia
    Violoncelo: Firmino Cavazza

  2. Distraído Veja mais

    Anísio Dias

    Tudo passou numa nuvem
    de desejo que se inflama
    mas tudo parou estático
    apareceu o olhar
    perdi a mão no elo
    e o ciclo se fechou sem ela
    pela razão dos sete meses
    sete vezes tentei fazer suas vontades
    mergulhei na sua corte de
    afetos pra cada vez mais
    perto entregar a ti tão meu
    o que é seu andei tão
    distraído você partindo
    aos poucos calando meu
    sorriso solto.

  3. Antena Veja mais

    Anísio Dias

    Olha lá olha lá
    vem o trem do caipira
    na fila de espera
    de todos que fervem e
    se servem do chão da ilusão
    olha lá olha lá as crianças
    que choram e imploram um colo
    a ninar gente grande que dorme
    acordado de sonhos luzes
    vermelhas corre lá liga
    lá seu feliz
    olha lá olha lá uma atriz refazer
    refazer nova cena
    olha lá olha lá que fascina é novela
    que vende um destino um
    verão que sorri nos
    desfiles o verde amarelo
    espalha aquarela seduziu
    antena para nós parabólica
    antena para nós parabólica.

  4. Recados do Coração Veja mais

    Anísio Dias

    Uma serenata se faz com uns
    amigos e um pouco de paz
    depois que o sono reinar
    nos quintais silêncio e um luar
    sem véu atrás da janela um
    chorinho revela recado do
    coração um cavaquinho sola a
    canção traz o amor
    guardado pra acordar meu bem
    nas manhãs desperta o
    sonho que ficou nas canções
    de amor na rubra flor e seus

    olhos luz de estrelas que
    arranquei de cada olhar que
    divagou nos céus e cheira a
    flor a rubra flor e suspira
    sem fim.

  5. Porta da Noite Veja mais

    Anísio Dias

    Já é tarde o sol se esconde
    mansinho atrás da serra as
    aves voando em festa vão
    dormir fim do dia e tudo
    serena embaixo do céu e
    vejo a primeira estrela a
    brilhar na porta da noite e
    puxo a cadeira pra prosa
    gostosa da varanda te ver o
    seu perfume exala a flores
    do campo que um dia
    colhi de manhã e guardei um
    jarro de cristal fiz primavera
    com lírios jasmins esperando
    você seu sorriso de lá faz a
    lua acordar num farol quer
    dançar e vem nesse dengo
    dengo dengo que espalha
    suspiros no ar seu sorriso
    de lá faz a lua acordar num
    farol quer dançar e vem
    nesse dengo dengo dengo
    que espalha sorrisos de cá.

  6. Aquele Olhar Veja mais

    Anísio Dias

    O reencontro me sorriu reviveu
    os passos de um acaso do
    passado em mim aquele olhar
    que me seguiu depois partiu
    me fez assim a soma da
    saudade me levou embora não
    chorou por fora selou as
    lágrimas no retrato que guardei
    de ti onde estás agora? Longe ou
    na varanda? A lua trás um tanto de
    senhas como a lenha na fogueira
    que mantém a chama daquele
    que te ama e clama amor.

  7. Infância Veja mais

    Anísio Dias

    Hoje acordei com o sol dos
    quintais florais infância…
    uma janela abriu os meus olhos
    pra ela um sorriso
    ficou marcado cresceu saudade…
    e fui pra estrada buscar a
    feliz cidade que abrigou em cada
    esquina os sonhos
    segredos…vividos na idade menino
    levado feliz para viver
    um amor buscar o indispensável a
    inocência daquela idade
    e sonhar pelas calçadas correr com
    o sentimento à espera
    de um abraço que traga todos os
    fluidos de primeiro
    sonhador deixa vir o sorriso que
    lhe traga um abrigo
    despertar as flores de novas manhãs.

  8. Agosto Veja mais

    Anísio Dias

    Fecho os olhos fecho os lábios
    fecho a porta em vão
    foi agosto vento leve partiu o
    meu coração uma parte
    foi tão fácil a outra se foi
    com o trem levou embora
    o meu abraço a tua graça tirou-me
    lágrimas de dor em
    ver assim tão bela partir
    do meu amor.

  9. Zé Feliz Veja mais

    Renato Motha

    Quanto mais eu vou nessa
    estrada eu sou o que sempre
    quis sou um pau-brasil sou um
    sabiá sou um Zé feliz
    viajo na rota do sol um sol
    tão imenso de ouro me leva
    pra onde eu não sei só sei
    que me faz prosseguir eu nasci
    pra ser simplesmente ser solto
    por aí para ser um só
    para ser um são para ser um
    sim nas veias do meu
    coração um rio prateado de
    lua me leva pra onde eu não
    sei só sei que me faz prosseguir
    mesmo se a dor partir
    meu coração posso sonhar um
    mundo inteiro em mim

    sim vou chorar mas sempre prosseguir.

  10. Cadeira de Balanço Veja mais

    Anísio Dias e Daniel Magalhães

    Uma cadeira toda branquinha de
    sonho daquela madeira
    guardada de sol e flor viu
    brincadeiras de roda roda
    girou descansa e balança fazendo
    tranças de paz entra na saudade
    e vai embora vai sorrindo vai
    fiar as teias num fascínio
    distante recriar a fábula que me
    zelou era o sol quem contava
    os segredos de criança em um
    jardim de mistérios o
    tempo trouxe as marcas dos
    dias descalços diferentes dos
    campos de hoje perderam-se
    no escuro da noite enquanto a
    lua velava os terreiros no
    pesar dos pesares do mundo
    gira o tempo que esquecendo
    a infância daquele que era o
    amanhã descobriu que o passado
    é um jardim que não pode dar
    flor recorda outro tempo que
    não trouxe o amanhã de um
    colorido jardim de um
    coração de criança de um
    passado feliz brincar com o
    tempo brincar e além do agora
    um lugar pra contemplar a
    esperança.

  11. Saudade na Varanda Veja mais

    Dalla e Vander Porto

    Não tem mais ver a vontade é
    um ponto de paz não tem mais
    ver a saudade é um leva e traz falei
    de amor no discurso mais
    azul que meu sonho fabricou palavras foram
    pro sul outras foram
    pro norte perdi meu tempo nesta arribação
    a saudade andorinha faz
    morada no seu lar faz verão sozinha nas
    chuvas do meu olhar pois
    proponho um trégua pro nosso amor morar
    na linha do equador
    e não tem mais ver tudo mais fica pra
    depois se a gente vai ou
    se fica a vontade é quem manda e deixamos
    a saudade na preguiça

    da rede mansa que armei lá na varanda.

  12. Via Lume Veja mais

    Anísio Dias

    Olhando estrelas no quintal
    buscando a Vênus nas manhãs
    no coração quero a razão a
    minha estrada deu sinal está
    aberta a via-lume e vai
    chover estrelas cadentes vou
    abraçar o céu fechar os olhos
    e flertar o alvo mirando
    estrelas e ladrilhando pedidos
    que saem dos poros do
    olhar que ficou no silêncio
    da espera sonho sem bolso
    ou esboço de papel faz o
    céu estrelar sem véu o seu
    calor de pele dourada aquece
    o meu olhar.

  13. Girassóis Veja mais

    Anísio Dias

    Quando a vi doeu naquele
    instante escondi a minha
    face partiu o meu espelho
    enquanto o sorriso espalha
    o que sobrou na incerteza de
    ser o que partiu ou ficou o
    que sonhou nunca mais
    desenvolveu nem os girassóis
    vi mais girar a valsa
    saudando a nós nem os
    girassóis vi mais girar
    a valsa saudando a nós
    bordavam a cena cobertos
    de rendas giravam os
    sonhos de dois amores
    bordavam a cena cobertos de
    rendas giravam os pés de
    uma leve como neve doce
    tão leve como neve doce
    partiu.

Ouça na sua plataforma de streaming favorita:

Galeria de Imagens

Shows Outros eventos
Juiz de Fora – Maio/2018
Itajubá – Maio/2018 (Fotos: Adriano Gomes)
Belo Horizonte – Maio/2018 (Fotos: Ed Felix)
Uberaba – Maio/2018
Uberlândia – Maio/2018 (Fotos: Luana Magrela)
Ipatinga – Maio 2018 (Fotos: Nilmar Lage)
Brasília – Maio/2017
Gravação DVD Campinas – Março/2018
Campinas – Junho/2017
Sr. Brasil – Maio/2017
Espetáculo JK – Teatro Itália/2016
Espetáculo JK – Teatro Itália/2016 (Pt. 2)
Ensaio Caio Gallucci/2017
Noite Brasil Latino/2013
Balaio Cultural/2015
Ensaio Donaire/2017
Ensaio Birgit/2016
Show em Casa – Teatro Bradesco/2015
Espetáculo JK – Curitiba/2017
Birgit Schrarder – Ensaio Trama/2017
Ensaio Jorge Bispo/2017
Show em Casa – Tom Jazz/2015
Juiz de Fora – Maio/2018
Itajubá – Maio/2018 (Fotos: Adriano Gomes)
Belo Horizonte – Maio/2018 (Fotos: Ed Felix)
Uberaba – Maio/2018
Uberlândia – Maio/2018 (Fotos: Luana Magrela)
Ipatinga – Maio 2018 (Fotos: Nilmar Lage)
Brasília – Maio/2017
Gravação DVD Campinas – Março/2018
Campinas – Junho/2017
Sr. Brasil – Maio/2017
Espetáculo JK – Teatro Itália/2016
Espetáculo JK – Teatro Itália/2016 (Pt. 2)
Ensaio Caio Gallucci/2017
Noite Brasil Latino/2013
Balaio Cultural/2015
Ensaio Donaire/2017
Ensaio Birgit/2016
Show em Casa – Teatro Bradesco/2015
Espetáculo JK – Curitiba/2017
Birgit Schrarder – Ensaio Trama/2017
Ensaio Jorge Bispo/2017
Show em Casa – Tom Jazz/2015

Fundação Brasil Meu Amor

A Fundação Brasil Meu Amor, um projeto idealizado por 135 brasileiros, é uma jovem entidade sem fins lucrativos, que tem por objetivo maior resgatar a história do Brasil e de seus heróis, atuar na realidade apoiando servidores públicos decentes e investir no futuro do Brasil através da construção de uma Universidade, ou seja, cuidar do Brasil a partir do cidadão, do indivíduo.

conheça
Gráfico

Entre em Contato

Informações para a imprensaecomunica

Ellen Bileski
+55 (11) 99326-9593
ellen@agenciaecomunica.com.br

João Paulo Freire
joao@agenciaecomunica.com.br

PRODUÇÃOVersa Cultural

Amanda Leones
11 3207-1739 / 98612-9583
amanda@versa.art.br

Baixe aqui o PressKit